Arquivo mensal: maio 2016

O Cheiro da Gente, Cemitério do Esplendor, mostra da PUC-GO e Glauco do Brasil abrem o mês de junho

O mês de junho começa com O Cheiro da GenteCemitério do Esplendor em cartaz nas sessões regulares no Cine Cultura. No dia 06 de junho, nossa programação regular cede lugar ao evento Mostra Goiás, com filmes de estudantes da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Confira abaixo mais informações!

ATENÇÃO: O prédio do Centro Cultural Marietta Telles Machado estará fechado nos dias 03, 04 e 05 de junho. Por isso, o Cine Cultura não funciona dias 03, 04 e 05/06.


Filme: O Cheiro da Gente (2015)
Período: 02/06; 07 e 08/06 (Cine Cultura fechado de 03 a 05/06; mostra da PUC-GO no dia 06/06)
Horário: 18h30 (seg/sex); 17h30 (sáb/dom)

O fotógrafo e artista Larry Clark acompanha momentos da vida de um grupo de seis jovens parisienses, seus encontros entre o Museu de Arte Moderna e o Palais de Tokyo e suas festas repletas de sexo, drogas e rock‘n’roll. As relações desses jovens com suas famílias, com o consumo, com o sexo e os relacionamentos, com a internet e a prostituição. Vinte anos após realizar Kids, Larry Clark volta a fazer um filme sobre a juventude, seus atos de ingenuidade, suas confusões e erros, e seus sentimentos de incompreensão e solidão.

Drama, Larry Clark, França, 2015, 1h28, classificação 18 anos

Confira o trailer:


Filme: Cemitério do Esplendor (2015)
Período: 02 a 22/06 (exceto dias 03, 04 e 05/06, quando o Cine Cultura estará fechado, e dia 06/06, devido a realização de mostra da PUC-GO)
Horário: 20h30 (seg/sex); 19h30 (sáb/dom)

Soldados com uma misteriosa doença do sono são transferidos para um hospital provisório instalado em uma antiga escola abandonada. Jenjira torna-se voluntária para tratar de Itt, um belo soldado que ninguém vem visitar. No hospital, ela faz amizade com a jovem médium Keng que utiliza os seus poderes para ajudar os parentes a se comunicarem com os homens adormecidos. Um dia, Jenjira encontra o diário de Itt preenchido com palavras e desenhos estranhos. Talvez haja uma conexão entre a síndrome enigmática dos soldados e o mítico local em que o hospital se encontra. A magia, a cura, o romance e os sonhos misturam-se no frágil caminho de Jenjira em direção ao conhecimento profundo de si própria e do mundo a sua volta.

Drama, Apichatpong Weerasethakul, Tailândia / Reino Unido / Alemanha / França / Malásia, 2015, 2h02, classificação 12 anos

Confira o trailer:


Mostra Goiás – PUC/GO
Data: 06/06
Horário: 19h

A Mostra Goiás é um projeto de pesquisa e extensão onde os alunos de jornalismo da PUC Goiás são convidados e contar histórias do lugar onde moram. Neste semestre, prepararam documentários que tratam da importância do carro de boi na cultura goiana, apresentam uma família que tem um engenho tradicional onde fazem rapadura e moça-branca. São novas abordagens sobre os museus da capital, os artistas dos quadrinhos e a história da televisão em Goiás ou as lembranças do pipoqueiro que anima as tardes de domingo tocando viola no Bosque dos Buritis. Além de desenvolver técnicas de reportagem, os alunos praticam o jornalismo cidadão e buscam novos olhares sobre Goiás.

Promoção: Coordenação de Arte e Cultura da Pró-Reitoria de Extensão da PUC Goiás e Escola de Comunicação, Curso de Jornalismo.

Confira o trailer de um dos curtas que será exibido no evento:


ATENÇÃO: O prédio do Centro Cultural Marietta Telles Machado estará fechado nos dias 03, 04 e 05 de junho. Por isso, o Cine Cultura não funciona dias 03, 04 e 05/06.


No dia 09 de junho, enquanto Cemitério do Esplendor (2015) continua em cartaz na sessão das 20h30 (de segunda a sexta) e 19h30 (sábado e domingo), o documentário Glauco do Brasil (2015) estreia na sessão das 18h30 (de segunda a sexta) e 17h30 (sábado e domingo). Os dois filmes permanecem em cartaz até dia 22 de junho. Não perca!


Filme: Glauco do Brasil (2015)
Período: 09 a 22/06
Horário: 18h30 (seg/sex) e 17h30 (sáb/dom)

A trajetória de vida, a obra e a carreira do pintor gaúcho Glauco Rodrigues, considerado um dos principais pintores do pop art latino, de acordo com críticos, artistas e teóricos. Retratado a partir de entrevistas, arquivos e imagens vivenciadas e inspiradas por Rodrigues, o documentário funciona como um retrato intimista de um dos maiores artistas gráficos da história brasileira.

Documentário, Zeca Brito, Brasil, 2016, 1h30

Confira o trailer:

Anúncios

O Cheiro da Gente e Yorimatã em cartaz no Cine Cultura

Após o sucesso da 12ª Semana da Europa, o Cine Cultura volta a exibir os filmes O Cheiro da Gente e Yorimatã. O primeiro, um longa francês, dirigido por Larry Clark, será exibido às 18h30 (seg/sex) e 17h30 (sáb/dom). No segundo horário o público pode conferir a produção brasileira Yorimatã, do diretor Rafael Saar, com sessões às 20h30 (seg/sex) e 19h30 (sáb/dom). O ingresso do cinema custa R$8 Inteira e R$ 4 meia. Pessoas acima de 60 anos têm acesso livre.

O filme Yorimatã é um documentário experimental e fala de duas mulheres que, em meio ao movimento hippie dos anos 70, se unem pelo sonho de liberdade e se tornam pioneiras no cenário independente brasileiro.

Já na trama de O Cheiro da Gente a juventude é o tema central. No filme, o diretor, fotógrafo e artista Larry Clark acompanha momentos da vida de um grupo de seis jovens parisienses, seus encontros entre o Museu de Arte Moderna e o Palais de Tokyo e suas festas repletas de sexo, drogas e rock‘n’roll. As relações desses jovens com suas famílias, com o consumo, com o sexo e os relacionamentos, com a internet e a prostituição.

Confira a programação:

CartazFilme: O Cheiro da Gente
Direção: Larry Clark
Período: 
26/05 a 1º/06
Gênero: Drama/ França/ 2014
Sessões: 18h30 (seg/sex) e 17h30 (sáb/dom)
Classificação: 18 anos

cartaz 2016FilmeYorimatã
Direção: Rafael Saar
Período: 26/05 a 1º/06
Gênero: Documentário/Brasil/2014
Sessões: 20h30 (seg/sex) e 19h30 (sáb/dom)
Classificação: 10 anos

Local: Cine Cultura, no Centro Cultural Marietta Telles Machado, Praça Cívica, Goiânia
Ingressos: R$8 (Inteira) e R$4 (Meia). Pessoas acima de 60 anos têm acesso livre

A 12ª Semana da Europa traz 12 filmes ao Cine Cultura

A Semana da Europa, uma promoção da EUNIC Brasil – Associação dos Institutos Culturais e Embaixadas de países da União Europeia – e da Delegação da União Europeia no Brasil, chega à sua 12ª edição com uma ampla programação cultural distribuída em onze capitais brasileiras. De abril a julho, o público poderá acompanhar concertos de música clássica e popular, eventos acadêmicos, exposições, o Festival de Cinema Europeu, e – somente em Brasília – o tradicional Bazar Europeu e a Corrida União Europeia. Leia mais no site do evento.

No Cine Cultura, a programação diversificada do Festival de Cinema Europeu que ocorre no contexto da 12ª Semana da Europa inclui dois debates. O primeiro ocorre com Nilo Borges depois da sessão do documentário Só o melhor para o nosso filho (Paises Baixos, 2014, 87 minutos; título original: Het beste voor Kees), de Monique Nolte, na quinta-feira, 19/05, com início do filme às 18h30. No filme de Nolte, Kees tem 49 anos, é autista e ainda mora com seus pais. O amor deles de a Kees a possibilidade de desenvolver como um adulto relativamente independente. Mas o que acontecerá quando os pais do Kees, agora com 80 e 83 anos, não puderem mais cuidar dele? A cineasta Monique Nolte acompanha as tentativas dos pais do Kees de criar um futuro perfeito para seu filho autista.

O segundo debate ocorre com Ricardo Roqueto na segunda-feira, 23/05, depois da sessão do filme Hope (França, 2014, 86 minutos), de Lojkine Boris. Nesse drama francês, Léonard salva Hope da morte em pleno deserto do Saara. Ele é camaronês, ela nigeriana, e os dois desejam abandonar a África e alcançar a Europa. Defendendo-se dos perigos da área hostil, eles firmam uma parceria que logo evolui para romance. O filme foi premiado na Semana da Crítica no Festival de Cannes 2014 e recebeu também o Prêmio da Crítica no Festival de Hamburg.

Nilo Ferreira Borges é técnico audiovisual do Cine UFG desde 2010. Estudou na primeira turma do Curso Superior do Audiovisual ECA-USP de 2000 a 2004, foi aluno de professores como Ismail Xavier, Arlindo Machado, Carlos Calil, Rubens Machado. Participou e ajudou a produzir inúmeras mostras de cinema em especial a 27ª Mostra Internacional de São Paulo no ano de 2003 e as mostras temáticas do Cine UFG; além de ter trabalhado em diversas produções audiovisuais como em alguns curtas metragens premidos nacional e internacionalmente. Já trabalhou em produtoras de São Paulo e Goiânia em praticamente todas as áreas.

Ricardo Roqueto é músico e produtor audiovisual, com bacharelado em Comunicação Social pela UFG. Foi ativista do coletivo Centro de Mídia Independente em Goiânia e dirigiu e roteirizou o documentário Lutadoras (2006)e o curta de ficção Interior (2015). Participou, como integrante do grupo Vida Seca, de trilhas sonoras, como a do curta experimental Rua 57, Nº60, Centro (2011, direção Michael Valim), do curta de animação O Lenhador (2015, direção Fábio Teófilo), além do longa metragem A Noite do Chupa Cabras (2011, direção Rodrigo Aragão). Atua como produtor cultural no Instituto Federal de Goiás, coordenando o Teatro do Campus Goiânia.

A programação completa da semana cinematográfica que vai de 19 a 25 de maio pode ser conferida no site do evento ou na imagem abaixo:

Semana da Europa

Confira abaixo mais informações sobre os filmes, em sua ordem de exibição na programação, assim como suas sinopses:

Só o melhor para o nosso filho (19/05, 18h30 – seguido de debate com Nilo Borges)

País: Países Baixos

Título original: Het beste voor Kees

Direção: Monique Nolte

Ano: 2014

Duração: 87’

Gênero: Documentário

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Kees tem 49 anos, é autista e ainda mora com seus pais. O amor deles de a Kees a possibilidade de desenvolver como um adulto relativamente independente. Mas o que acontecerá quando os pais do Kees, agora com 80 e 83 anos, não puderem mais cuidar dele? A cineasta Monique Nolte acompanha as tentativas dos pais do Kees de criar um futuro perfeito para seu filho autista.


As ovelhas não perdem o trem (20/05, 18h30)

País: Espanha

Título original: Las ovejas no pierden el tren

Direção: Alvaro Fernández Almero

Ano: 2014

Duração: 103’

Gênero: Comédia

Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Essa é uma comédia otimista sobre como uma turma de amigos, de uns 40 anos, afrontam as mudanças da sociedade atual. A falta de trabalho, a necessidade de se reciclar, as histórias de amor que poucas vezes seguem o “para sempre” e a sensação de que as coisas não são como tinham nos falado, cercam os personagens que lutam para reencaminhar as suas vidas, combinando situações do quotidiano com cenas surrealistas nas quais todos podemos nos identificar.

Prêmios: Comédia Cluj – Festival Internacional de Cinema – Seleção Oficial


O limpador (20/05, 20h30)

País: Eslováquia

Título original: Čistič

Direção: Peter Bebjak

Ano de produção: 2015

Duração: 94’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 15 anos

Sinopse: Tomás é um jovem não muito sociável. Ele vai ao psiquiatra, que é claramente obrigado a ir, e conta que às vezes sai para tomar cerveja com os amigos. Porém, na realidade, o hobby dele é ficar escondido e observar a rotina dos vizinhos. Até que um dia, Tomás se apaixona em um dos apartamentos em que observa. Kristina é o seu objeto de fascinação, ela mora com o irmão mais velho, e Tomás logo percebe que há algo de errado com esta família.


Ocidente (21/05, 17h30)

País: Alemanha

Título original: Westen

Direção: Christian Schwochow

Ano: 2013

Duração: 102’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: No fim dos anos 1970, na Alemanha Orienta, Wassilij (Carlo Ljubek)é um físico russo que vive com a esposa, Nelly Senff (Jördis Triebel) e o filho Alexej (Tristan Göbel). Ele frequentemente viaja para participar de conferências. Desta vez, não será apenas mais uma viagem, como a família pensa. O físico não voltará para casa. Três anos mais tarde, Nelly tem o objetivo de se casar com um homem do lado ocidental para Alexej ter uma vida melhor.

Prêmios:

  • Festival de Cinema Alemão 2014: Melhor atriz em um papel principal – Jördis Triebel
  • Festival Internacional de Cinema de Montreal 2013: Melhor atriz em um papel principal – Jördis Triebel; Prêmio da crítica internacional – Melhor filme
  • Abras Film Festival: Prêmio dos críticos franceses – Melhor filme

O Idealista (21/05, 19h30)

País: Dinamarca

Título original: Idealisten

Direção: Christina Rosendahl

Ano de produção: 2015

Duração: 114 m.

Gênero: Suspense

Classificação indicativa: 7 anos

Sinopse: Filme de suspense sobre um capítulo secreto da historia dinamarquesa do séc. XX. Durante a guerra fria um avião americano contento bombas de hidrogênio sofre um acidente perto da base americana na Groenlândia. Diversos trabalhadores dinamarqueses são escalados para limpar o local do acidente. 20 anos depois, um velho trabalhador da base conta a um jovem jornalista sobre doenças estranhas e mortais que afetam seus companheiros e que poderiam estar associadas à carga contida no avião. O jornalista passa a investigar o caso e acaba descobrindo que o assunto tem o envolvimento tanto do governo dinamarquês como do governo americano.

Prêmios: O Robert (9 nomeações) e a Bodil (4 nomeações) – premiações dinamarqueses, que ainda não aconteceram.


Fair Play (22/05, 17h30)

País: República Tcheca

Título original: Fair Play

Direção: Andrea Sedlácková

Ano: 2014

Duração: 100’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Década de 80 na Tchecoslováquia. A talentosa jovem atleta Anna está selecionada para a equipe nacional e começa a treinar para se qualificar para os Jogos Olímpicos. Como parte da preparação, ela é colocada em um “programa médico” secreto onde é dopada com esteroides anabolizantes. Seu desempenho está ficando melhor, mas depois que ela entra em colapso no treinamento, descobre a verdade sobre as drogas. Anna decide continuar sua preparação sem os esteroides, embora sua mãe esteja preocupada que ela não se qualifique para os Jogos, que vê como a única chance da filha escapar da Cortina de Ferro.


Uma Separação (22/05, 19h30)

País: Suécia

Título original: A Separation

Direção: Karin Ekberg

Ano: 2014

Duração: 70’

Gênero: Documentário

Classificação indicativa: livre

Sinopse: Tudo bem jogar fora seu velho vestido de casamento? O que fazer com as taças de cristal que ninguem quer? Uma Separação de Karin Ekberg é um documentário tragicômico que explora os últimos atos de um longo casamento. Um filme sobre a busca tentativa de um recomeço, quando algo – por fim e infelizmente – acaba.


Hope (23/05, 18h30 – seguido de debate com Ricardo Roqueto)

País: França

Título original: Hope

Direção: Lojkine Boris

Ano: 2014

Duração: 86’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 10 anos

Sinopse: Léonard salva Hope da morte em pleno deserto do Saara. Ele é camaronês, ela nigeriana, e os dois desejam abandonar a África e alcançar a Europa. Defendendo-se dos perigos da área hostil, eles firmam uma parceria que logo evolui para romance.

Prêmios: Semana da Crítica no Festival de Cannes 2014. Prêmio da Crítica no Festival de Hamburg


Feliz para morrer (24/05, 18h30)

País: Eslovênia

Título original: Srečen za umret

Direção: Matevž Luzar

Ano: 2013

Duração: 100’

Gênero: Comédia dramática

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Ivan, um professor da música aposentado, tem 76 anos e é cansado de viver. Por isso, compra uma tumba e entra num lar de idosos, já pronto para morrer. Porém, num curso da informática ele descobre a paixão de viver, joie-de-vivre, e em fim começa a viver.

Feliz para morrer é uma comédia dramática, inspirada pela vida real. É uma história de envelhecimento que quebra todos os estereótipos. É uma história que mostra que nunca é demasiado tarde para viver.

Prêmios: 2012 – 6 prémios no 15º Festival do Filme esloveno (o melhor filme, o melhor roteiro, a melhor fotografia, a melhor cenografia, o melhor costume, o melhor som)


Aglaja (24/05, 20h30)

País: Hungria

Título original: Aglaja

Direção: Krisztina Deák

Ano: 2012

Duração: 116’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 16 anos

Sinopse: Baseada em fatos reais, esta é a história da infância e adolescência de Aglaja, filha de uma família de artistas circenses do Leste Europeu. A família foge para a Europa Ocidental após cometer um roubo que os permite começar uma nova vida. Para alcançar o sucesso, sua mãe gasta todo o dinheiro da família para realizar um número perigosíssimo: ficar pendurada pelos cabelos no domo do circo. Toda noite, Aglaja é aterrorizada pelo medo de perder sua mãe.


Aristides de Sousa Mendes, O Cônsul de Bordéus (25/05, 18h30)

País: Portugal

Título original: Aristides de Sousa Mendes, O Cônsul de Bordéus

Direção: Francisco Manso, João Correa

Ano: 2011

Duração: 90’

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Com a invasão de França pelas tropas nazis, milhares de refugiados começam a formar-se junto do consulado português em Bordéus, na esperança de obterem um visto para Portugal. Obrigado a respeitar a circular de Salazar que determinava a proibição expressa de concessão de vistos a quaisquer refugiados judeus, Sousa Mendes viveu, então, um terrível dilema: se concedesse vistos, arriscava a carreira diplomática e o sustento da sua família; se não o fizesse, todas aquelas pessoas teriam como destino os campos de concentração nazis. Aristides de Sousa Mendes – O Cônsul de Bordéus, revisita a extraordinária história do herói português que salvou mais de 30.000 vidas durante a Segunda Guerra Mundial e desvenda a consciência e coragem de um homem que ousou desafiar Salazar inscrevendo o seu nome na história da humanidade.


Alabama Monroe (25/05, 20h30)

País: Bélgica

Título original: Alabama Monroe

Direção: Felix Van Groeningen

Ano: 2014

Duração: (1h 49min)

Gênero: Drama

Classificação indicativa: 16 anos

Sinopse: Em “Alabama Monroe”, de Felix Van Groeningen, um casal de personalidades bem diferentes (interpretado pelos atores Johan Heldenbergh e Veerle Baetens) se apaixona à primeira vista e tem uma filha. As visões de mundo distintas –ele é um músico ateu e ela é uma tatuadora que acredita em Deus– são confrontadas quando a filha do casal fica gravemente doente. O filme, que é baseado em uma peça de teatro de Heldenbergh, foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Bélgica.

Prêmios: indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro pela Bélgica

DIGO – I Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás começa dia 13 de maio, em Goiânia

DIGOForam mais de 200 filmes inscritos para a mostra competitiva de curtas metragens. Além das mostras cinematográficas; o evento terá: oficinas, shows, performances, exposições, intervenções artísticas, lançamentos de livros e muitos bate-papos. O acesso é gratuito para todas as atividades.

Diretor Geral do DIGO - Cristiano Sousa

Cristiano Sousa, Diretor Geral do DIGO 

O DIGO é o primeiro festival de cinema do centro-oeste, que abordará a diversidade sexual e de gênero. Essa temática já é discutida há tempos no eixo Rio-São Paulo, como por exemplo: no MixBrasil e no RioFGC. Portanto; só agora o público de Goiás terá a oportunidade de compartilhar a experiência de enxergar novos caminhos e novas sensações, obtendo assim mais conhecimentos sobre a natureza humana, sem preconceitos ou definições pré-estabelecidas.  O festival ocorre do dia 13 ao dia 15 de maio, nos períodos da manhã, tarde e noite, no Cine Cultura, sendo que no primeiro dia (sexta-feira) terão atividades também no CREI – Centro de Referência Estadual da Igualdade.

 

DivulgaçãoAs Mostras Competitivas: Nacional e Internacional receberam mais de 200 inscrições. Sendo que o Rio de Janeiro foi o estado brasileiro com maior número de inscritos, seguido de São Paulo. Goiás também teve um número expressivo de inscritos, sendo muitos filmes realizados, exclusivamente, para o DIGO. Países como:  Bélgica, Portugal, México, Paraguai, Espanha, Dinamarca, França, Venezuela, Argentina, República Dominicana, Estados Unidos e Filipinas tiveram representantes, que se inscreveram para o DIGO.

Filme - Castanha do diretor Davi Pretto

Filme Castanha, de David Pretto

Segundo o diretor do festival, Cristiano Sousa o trabalho dos curadores Ricky Mastro e Itamar Borges – ambos com experiência em curadoria no Brasil e no mundo torna o DIGO mais profissional e conceituado. “Os critérios para a seleção dos filmes são: criatividade, ter a diversidade como tema, ter sido produzido a partir de 2014 e ter até 20 minutos de duração. Serão 10 curtas escolhidos para a categoria nacional e mais 10 para a internacional. Onde serão premiados com o troféu DIGO, os melhores curtas nacionais e internacionais (júri e público), melhor diretor, ator e atriz além de uma menção honrosa”, explica.

 

A organização do DIGO espera que o festival faça história como representante da temática da diversidade, atraia visitantes e que se estabeleça como uma celebração positiva do audiovisual como janela para a congregação e conhecimento para todo o público. #vemprodigo

Atividades

Filme - Nova Dubai do diretor Gustavo Vinagre

Filme Nova Dubai, de Gustavo Vinagre

O evento inicia-se na sexta-feira (13/5) a partir das 8h até as 16h no CREI e no Cine Cultura, das 9h às 22h.  No sábado e no domingo o festival segue no Cine Cultura, sempre das 8h às 22h. No primeiro dia, o destaque será para a palestra sobre transexualidade com a delegada Laura Castro e a oficina de Drag Queen ministrada pelo diretor teatral Eduardo de Souza, ambos no CREI. Já no Cine Cultura, no período da tarde ocorrerá a exibição dos longas: “Castanha” do diretor Davi Pretto e “Yorimatã” de Rafael Saar. À noite, o público poderá conferir a exposição de gravuras do artista Helder Amorim e às 20h terá a Mostra Nacional Competitiva.

Filme Ralé dirigido por Helena Ignez

Filme Ralé, de Helena Ignez

No segundo dia, (14/5) o público vai poder conferir pela manhã a Mostra Paralela com os filmes do Outfest Peru e Asolo Art Film Festival. A tarde vai ocorrer um bate-papo sobre “Direito LGBTT”, com a advogada Ana Cristyna e com representantes da Comissão da Diversidade Sexual da OAB. O lançamento do livro: “Cinema que ousa dizer seu nome”, do cineasta Lufe Steffen, após o mesmo participará do bate-papo “Literatura, Cinema e Diversidade Sexual”.  Os longas: “Gazelle” do diretor Cesar Terra Nova e “A volta da Paulicéia Desvairada” do Lufe serão exibidos. A noite terá a intervenção artística “Eu aceito”, uma exposição de desenhos do artista Marcos Branquinho, show com a cantora Eloá Nunes, Mostra Competitiva Internacional e às 22h terá a exibição do filme “Nova Dubai” do diretor Gustavo Vinagre (para maiores de 18 anos).

Filme Yorimatã de Rafael Saar

Filme Yorimatã, de Rafael Saar

Último dia; pela manhã terá a “Mostra Paralela Anicurtas” e bate-papo sobre a produção audiovisual em Goiás. No período da tarde, o público vai poder assistir o longa “Ralé” estrelado pelo Ney Matogrosso e dirigido por Helena Ignez. Em seguida terá a leitura dramática: “Uma cama quebrada” e o lançamento do livro Trilogia dos Desejos do escritor Roberto Munis Dias. À noite; antes da divulgação dos vencedores e a entrega dos troféus ocorrerá show musical com BabySom Sales e a performance “Ney Matogrosso”, com o artista Peninha.

História

Longa - A Volta da Paulicéia Desvairada de Lufe Steffen

Filme A Volta da Paulicéia Desvairada, de Lufe Steffen

Esta primeira edição do DIGO foi idealizada pelo cineasta Cristiano Sousa. Ele já teve vários curtas metragens premiados no Brasil e no exterior, que abordam a diversidade sexual e de gênero. Justamente por isso, resolveu criar em Goiás um festival voltado para essa temática. “Mostrar ao público em geral obras relacionadas à sexualidade é prover a conscientização do respeito integral ao ser humano ampliando a percepção do cinema como janela”, explica.

O principal desafio para ele foi à realização do festival em si. O projeto inscrito no Fundo de Cultura Estadual foi negado com a justificativa “de não existir público” interessado na região. Cristiano Sousa não concordou e então, resolveu realizar o projeto de forma independente, buscando apoio de parceiros e empresas privadas e assim fazer acontecer. “A busca por um local e por apoio se torna um pouco mais complicada quando se trata de um assunto referente à diversidade, porém com a ajuda de amigos como a jornalista Amanda Costa, o professor Rafael Lisita,  voluntários e parceiros como a vereadora Dra. Cristina, Cinemas Lumiére e o Cine Cultura o projeto saiu do papel e está tendo uma grande resposta não só nas mídias de todo o Brasil como no exterior”, diz entusiasmado.

O DIGO tem ainda a parceria dos festivais internacionais, Outfest Peru e Asolo Art Film Festival da Itália, para exibir em Mostra Paralela os filmes que já passaram por esses países. O intercâmbio cultural não pára por aí, pois os curtas metragens vencedores aqui vão ser exibidos nas próximas edições desses dois festivais. Além disso, o DIGO já faz parte do RED – Diversilac uma rede de festivais de diversidade da América Latina e do Caribe.

SERVIÇO – DIGO – I Festival Internacional da Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás

Dias: 13, 14 e 15 de maio

Horários: 8h às 11h – 14h às 17h – 19h às 22h

Locais: CREI (dia 13)

Cine Cultura (dias 13, 14 e 15)

Endereços: CREI (Av. Goiás, nº 1.496, Centro) – Cine Cultura (Praça Cívica)

Mais informações:     www. digofestival.com.br

digo@digofestival.com.br

(62) 8566-6077 com Amanda Costa

Entrada franca!

PROGRAMACAO DIGO